AMPLIAÇÃO CULTURAL

AQUILO QUE DE MELHOR SOCIALIZAMOS EM NOSSOS MOMENTOS DE AMPLIAÇÃO E QUE FOI DEVIDAMENTE REGISTRADO, VOCÊ ENCONTRA AQUI. ENTÃO BOM DELEITE COM AS DICAS




NOSSO LIVRO


SEJAM BEM VINDOS, MEUS CAROS AMIGOS!

PARA INICIARMOS NOSSA SESSÃO DE AMPLIAÇÃO CULTURAL DE 2011 COM PÉ DIREITO, TRAZEMOS O CURTA METRAGEM APRESENTADO NO NOSSO PRIMEIRO ENCONTRO. NOSSO LIVRO TRAZ MARCUS CARUSO E VERA HOLTZ EM UM ENVOLVENTE MINI DRAMA, EM QUE AS VERDADEIRAS ESTRELAS SÃO AS POESIAS E OS LIVROS QUE OS DOIS PROTAGONISTAS UTILIZAM PARA ALIMENTAR SUAS FANTASIAS EM BUSCA DO INEVITÁVEL ENCONTRO. ESPERAMOS QUE TODOS GOSTEM. QUEM NÃO VIU É UMA ÓTIMA OPORTUNIDADE DE VER E QUEM JÁ, VALE A PENA VER DE NOVO. BOA DIVERSÃO!

 



O AMOR NOS TEMPOS DO CÓLERA
(THE LOVE IN THE TIME OF CHOLERA)
No pôster deste belo filme, lê-se a epigrafe: “quanto tempo você esperaria pelo amor?”. Pergunta difícil não é verdade? Pois bem, baseado no consagrado romance daquele que certamente é um dos maiores romancista da America Latina, o colombiano Gabriel Garcia Márquez, o filme nos leva ao seu país no início do século passado. Em meio a uma epidemia de cólera que assola e mata grande parte da população, Gabriel conta a história de Florentino Ariza e Fermina Daza. Ele, um modesto funcionário da empresa de correios da cidade que vive com mãe, interpretada de forma magnífica pela nossa Fernanda Montenegro. Ela, filha de um próspero comerciante que acabara de chegar à cidade.
Como há de ser nos bons romances, os dois são flechados pelo cúpido e passam a alimentar uma secreta paixão através de correspondências. Também como convém aos bons romances, o pai da protagonista não fica satisfeito e corta as asas dos dois pombinhos, mandando Fermina passar um longo tempo fora da cidade. Ao regressar, ela revela que não quer mais o amor de Florentino e para derramar um pouco mais de drama à situação, aparece um doutor que lhe pede em casamento. Ali começava a via crucis de um jovem apaixonado e desolado que decide então...
Bom, se existe uma coisa que me tira do sério é alguém me contar um filme inteiro. Então, só para atiçar um pouquinho mais a curiosidade de vocês vou revelar um pequeno segredo que não chega a estragar a surpresa de quem se aventurar neste filme: Florentino promete que só perderá sua virgindade com Fermina, sua eterna amada. Conseguirá nosso mocinho manter o que prometera? Melhor ainda é usar a epigrafe já transcrita acima: “quanto tempo você esperaria pelo amor?” Essas respostas estão reservadas a quem for à locadora perto de casa e pagar uns cinco reais pela locação ou, em uma loja on line, e pagar alguns reais mais. Ótima pedida!

por Ronald Corrêa



ROMANCE
Guel Arraes já deixou comprovada a sua competência em filmes como “O auto da compadecida” e “Lisbela e o Prisioneiro”. Em ambos, o jovem diretor encontra no tipo nordestino e na comédia regional um prato cheio para prender o público. Em Romance o diretor foge, pelo menos em parte, do estilo que o consagrou. De inicio, o filme é extremamente urbano, tendo como cenário São Paulo e Rio. É ali que se dá o complicado relacionamento entre Pedro, um jovem e talentoso dramaturgo e Ana, uma promissora atriz. Os dois se encontram durante os ensaios da peça Tristão e Isolda, e começam um complicado relacionamento em que as personagens se confundem com seus intérpretes. Ana quer filhos e almeja brilhar na TV; Pedro quer viver para o teatro e despreza o sucesso. A relação é interrompida quando Ana vai ser atriz de novela no Rio e Pedro fica com o teatro em Sampa. Entretanto, a história ganha novos contornos quando, Pedro é convidado para dirigir Ana em uma versão nordestina de Tristão e Isolda. E é nesse momento que Guel Arraes volta ao seu habitat cinematográfico. Contanto com as ótimas atuações de Wagner Moura, Letícia Sabetella, Andrea Beltrão, Vladimir Brichta e José Wilker, e com um diálogo impecável, Romance é daqueles filmes que deixa sempre a vontade de se assistir mais uma vez. Vale ainda pela participação pra lá de especial de Marcos Nanini, que tem sido um fiel freqüentador dos filmes de Guel Arraes. Então, é só alugar (ou comprar) e aproveitá-lo no sábado... e quem sabe no domingo, na segunda, talvez terça...
por Ronald Corrêa


LOUCOS DE AMOR (MOZART AND THE WHALER)


Dizia Pascal, em frase que o tempo se encarregou de transformar em clichê, que “o coração encontra razões que a própria razão desconhece”. Pois é, o cinema parece fazer questão de seguir à risca esta máxima. Às vezes dá certo, outras não. Mas no caso de Loucos de Amor, a fórmula funciona.
O filme traz Donald, um rapaz que sofre da Síndrome de Asperger, procurando seguir sua vida dentro de uma rotina meticulosamente "desorganizada" em seu bagunçado apartamento, no intuito de levar uma “vida normal”. Por uma dessas que apronta o destino, Donald conhece Isabelle, uma jovem que tem a mesma síndrome, mas que se diferencia por um pequeno detalhe do rapaz: ela é extremamente organizada.
É neste conflito de personalidades, de evidentes diferenças e descobertas de similaridades que o filme se desenvolve. O melhor de tudo é que trata-se de uma comédia romântica. Assim, dá pra dar boas risadas mas também pensar algumas questões que subjazem a este despretencioso e bom filme. É só comprar a pipoca e o guaraná Antarctica (Mate-Couro ou Psiu também serve), e aproveitar.

por Ronald Corrêa




O ESCAFANDRO E A BORBOLETA
(LE SCAPHANDRE ET LE PAPILLON)



O filme nos traz a história real de Jean-Dominic Bauby, um prestigiado editor da revista Elle, que subitamente sofre um AVC, ficando com o corpo praticamente paralisado. O único órgão que Bauby usa com autonomia são os olhos, e é através deles que ele consegue se comunicar com o mundo. Diante de todo o estado de adversidades, Jean consegue, com o auxilio de uma terapeuta, “escrever” todo um livro. O livro em verdade é o próprio filme.
Contando com uma esplendida atuação do ator Mathieu Amalric e com a sagacidade do diretor Julian Schnabel, o filme é uma ótima pedida. Recomendo como um belo programa para o próximo final de semana!


por Ronald Corrêa



PRODUÇÕES DE NOSSOS PROFESSORES

O eixo norteador do processo de alfabetização, do desenvolvimento da consciência fonológica e do comportamento leitor das crianças é o texto. Diante disso, ao participar do Curso de Formação Livro Vivo 2010, Projeto Leitura para a Cidadania, ministrado pela Editora Paulus, Cláudia Regina Martins de Aquino, Professora da U.E.B. Professor Rubem Teixeira Goulart - Anexo II, elaborou o seguinte texto:

LEMBRANÇAS
Da minha vida
Vou um pouco falar
Que na minha infância
O importante era estudar.
Estudar para aprender
Ou até mesmo ser alguém
Nesse mundo muito louco
Que não dá nada pra ninguém.
A leitura na minha vida
Introduziram-me quase a força
Pois não lembro com amor
Daquela severa moça.
Que logo pela manhã
Estava com a cara feia
Não sei por qual motivo
Vai ver que era qualquer besteira.
Não conseguia ter prazer
Manuseando aqueles livros
Pois faltava a emoção
Talvez de um ombro amigo.
Invejava os meus amigos
Que liam por diversão
E a cada leitura feita
Viajavam na imaginação.
Pensava que algum dia
A mesma coisa pudesse fazer
Ter um livro nas mãos
E nele sentir prazer.
Resolvi então estudar
Para poder me formar
E assim muitas crianças
Ajudar a sonhar.
Sonhos que são possíveis
Basta ter esperança
Pois o mundo se torna melhor
Quando a gente vira criança.
Nos livros tudo é possível
Sapo vira príncipe
Borralheira, vira princesa
Tudo com muito encanto
Sem esconder a beleza.
Hoje me transporto
Para aqueles sonhos de criança
Que outrora não tivera
Pois não tinha esperança.
Hoje para os meus pequeninos
Tento esse encanto passar
Você pode ser tudo que quiser
É só imaginar.
E nesse mundo de fantasia
Pegar o barco e navegar
Descobrir novos horizontes
Sempre com o remo a remar.
Aqui vou findando
As minhas eternas lembranças
E um recado deixando
Não perca nunca a esperança.
Você pode conquistar
Tudo que você quiser
Sonhe, busque e realize
Pois contará para seus filhos
E netos, o sonho de uma grande mulher.

Obrigada pela concessão desse importante espaço para socializar a produção da Professora Cláudia que muito tem contribuído com o avanço da prática pedagógica no interior da Escola.

por Maria do Espírito Santo Sampaio Gonçalves
(Coordenadora Pedagógica da UEB Rubem Goulart)



O NOME DO VENTO



AUTOR: Patrick Rothfuss.
GÊNERO: Romance.
RESUMO: "O nome do Vento" é um épico de fantasia movido pelo poder das histórias. Aqui, a magia se encontra nas palavras escritas, ditas e cantadas. Mas a verdadeira magia está na capacidade de descobrir o nome de todas as coisas. Tudo que existe, mesmo que não possamos ver ou sentir, possui um nome, e saber pronunciá-lo significa conquistar seu domínio...poder influenciar e fazer com que tais coisas se submetam a sua vontade.
O autor consegue nos levar através de um mundo de fantasia, magia e criaturas míticas, porém de forma que nos pareça comum e real. O ambiente criado por Rothfuss não é inflamado demais, permitindo que o leitor se entregue ao seu universo fantástico. Um mundo cheio de obstáculos, vícios e preconceitos; onde muitas vezes o que reina é a injustiça, a miséria e o egoísmo. Bem parecido com o nosso não é? (...)
"O Nome do Vento" é um livro indispensável para os amantes de fantasia. Um épico que valeu cada página lida.


O QUE MAIS GOSTEI: A riqueza de detalhes com que o livro é escrito. Quando terminei de ler, fiquei triste por saber que teria que esperar até que o autor concluísse o segundo dia das Crônicas do matador do rei. Mas, tive a certeza de que valeria a pena esperar.

NOTA REPRESENTADA POR ESTRELAS: 5 estrelas.

por Katharine Moucherek


O TEMOR DO SÁBIO


AUTOR: Patrick Rothfuss.
GÊNERO: Romance.
RESUMO: “Lembre-se de que há três coisas que todo sábio teme: o mar na tormenta, uma noite sem luar e a ira de um homem gentil.”
O temor do sábio dá continuidade à impressionante história de Kvothe, o Arcano, o Sem-Sangue, o Matador do Rei.
Quando é aconselhado a abandonar seus estudos na Universidade por um período, por causa de sua rivalidade com um membro da nobreza local, Kvothe é obrigado a tentar a vida em outras paragens.
Em busca de um patrocinador para sua música, viaja mais de mil quilômetros até Vintas. Lá, é rapidamente envolvido na política da corte. Enquanto tenta cair nas graças de um nobre poderoso, Kvothe usa sua habilidade de arcanista para impedir que ele seja envenenado e lidera um grupo de mercenários pela floresta, a fim de combater um bando de ladrões perigosos.
Ao longo do caminho, tem um encontro fantástico com Feluriana, uma criatura encantada à qual nenhum homem jamais pôde resistir ou sobreviver – até agora.
 Kvothe também conhece um guerreiro ademriano que o leva a sua terra, um lugar de costumes muito diferentes, onde vai aprender a lutar como poucos.
Enquanto persiste em sua busca de respostas sobre o Chandriano, o grupo de criaturas demoníacas responsável pela morte de seus pais, Kvothe percebe como a vida pode ser difícil quando um homem se torna uma lenda de seu próprio tempo.


O QUE MAIS GOSTEI: Mais uma vez, o autor nos surpreende pela beleza da escrita com riqueza de detalhes nas descrições. As quase mil páginas pareceram poucas para uma leitura tão prazerosa. Agora, é aguardar que Patrick consiga com maestria amarrar todas as pontas de fios que ficaram soltas entre o primeiro e o segundo livro, para concluir com a perfeição esperada as Crônicas do matador do rei.
 
NOTA REPRESENTADA POR ESTRELAS: 5 estrelas.
 
por Katharine Moucherek

Nenhum comentário:

Postar um comentário